24 fevereiro 2013


“Eu amei-te quando tu disseste que também me amavas, e continuei amar no dia em que viraste as costas para mim e correste para os braços de outra. Foi errado, eu sei, mas nós não escolhemos quem ou quando amar. Nós amamos, sem hora, sem momento, sem razões. O triste foi que eu te amei enquanto me fazias feliz e, também, enquanto me fazias desejar a morte.”


9 comentários:

Catarina ♥ disse...

Juro que leste a minha mente neste post ! Adorei , e adoro o teu blog .
Beijinho , sigo *

sabrina mateus disse...

Adorei o post *-*
sigo o teu blog, beijinho

martasousa disse...

força!

Nidia Gomes disse...

já me identifiquei mesmo

Inês disse...

lindíssimo como flores a esvoaçar pelo jardim e quente como uma bela chávena de café partilhada à noite.

Cláudia ♡ disse...

Que lindo.

alexandrapinto disse...

Amei o texto :o

anónimo (: disse...

Obrigada digo eu (;

catarina ferreira disse...

que lindo +.+